Até a National Geographic já postou sobre isso, mas vale lembrar que até os grandes erram. Apesar de ser amplamente difundida na internet, a informação de que o leite de hipopótamo possui coloração rosa não passa de um hoax, um mito criado nas páginas da web.

A explicação para o leite colorido (“cor-de-rosa vivo”, como consta na maioria das fontes) seria a presença de dois ácidos na pele do mamífero. O ácido hiposudórico e o nohiposudórico, ambos com pigmentação avermelhada, realmente têm a função de proteger a pele do animal contra bactérias, além de criar uma camada que previne lesões pela exposição excessiva ao sol. Dessa forma, os dois ácidos se uniriam em uma espécie de suor que, ao entrar em contato com o leite, daria à substância uma cor avermelhada – lembre-se das aulas de artes: branco + vermelho = rosa.

Plausível à primeira vista, a explicação para o fenômeno deixa a desejar quando é pensada em detalhes. Por exemplo, para que o leite do hipopótamo adquirisse a tonalidade cor-de-rosa vivo, seria necessário um volume de suor (composto de ácidos) muito grande. As chances disso acontecer são ínfimas, afinal, o leite (branco, como o de todos os mamíferos), segue por canais específicos até o mamilo da hipopótamo fêmea e é sugado diretamente na boca do filhote, não havendo meios de uma substância presente na pele se misturar a ele.

A possibilidade do leite “rosa” nesses mamíferos ficaria, então, restrita aos casos de sangramento dos canais de leite ou do mamilo, causados por bactérias ou por lesões. Mesmo assim, a quantidade de sangue misturada ao leite precisaria ser grande, de forma alguma deixando o leite com a pigmentação rosa vívida, como mostra a foto acima, utilizada na maioria das fontes. Além disso, não há sites ou depoimentos com base científica que confirmem o fato de o leite de hipopótamo ser cor-de-rosa. Essa é, portanto, mais uma informação falsa que acabou se tornando “verdade” nas páginas da web.

Fonte: Jimmo

Leave a Reply

Your email address will not be published.