Mortes de overdose por cocaína, heroína, crack e outras drogas são comuns, tendo custado a vida de muitas celebridades, inclusive. Mas você já ouviu falar sobre alguém morrer devido a uma overdose de maconha? A droga, que é utilizada com fins medicinais e recreativos, tem diferentes efeitos no corpo, que dependem não só do tipo usado como também das condições do organismo de cada usuário.

De forma geral, o uso da maconha causa uma sensação de relaxamento, embora o batimento cardíaco fique levemente acelerado. Contudo, se utilizada em quantidades maiores,  a droga pode provocar dificuldades na respiração, náuseas, tremor e palidez. Mesmo assim, é bastante difícil que uma pessoa morra devido ao THC, substância psicoativa encontrada na maconha.

No caso do álcool, por exemplo, é preciso consumir de 5 a 10 vezes mais do que a dose intoxicante para que a substância seja mortal. Ou seja, se 5 doses de vodka deixam você bêbado, 35 a 50 doses colocariam a sua vida em risco. Para a maconha, a quantidade é muito maior. Se um ou dois cigarros de maconha deixam você alto, são necessários de 20 mil a 40 mil baseados para provocar uma overdose – isso significa cerca de 40 quilos de erva!

Algumas mortes já foram atribuídas à maconha, mas não se pode afirmar que são overdoses. “Não há histórico de nenhuma morte causada pela maconha. A Cannabis pode acelerar os batimentos cardíacos e há a possibilidade de causar problemas para quem já possui uma deficiência cardíaca pré-existente”, afirma o Dr. Allen Shackelford, médico especialista em tratamentos com maconha. Sendo assim, a maconha pode sim causar mortes, seja por problemas cardíacos pré-existentes ou acidentes devido aos efeitos da droga, mas uma overdose de THC é muito pouco provável.

Fonte: Huffington Post