Um beijo apaixonado pode levar você a outro planeta, mas convenhamos que o ato de beijar é pra lá de esquisito. Afinal, qual é o objetivo de enlaçar línguas, trocar saliva e fazer movimentos com a boca junto a outra pessoa? A origem do beijo está relacionada à fertilidade e ao instinto humano básico de sobrevivência. Contudo, além disso, o beijo nos traz lembranças maternais e é aí que a história começa a ficar curiosa.

Durante o beijo, os nervos do lábio enviam informações sobre o ato para o cérebro e dezenas de músculos faciais entram em ação. Entre esses músculos está o músculo orbicular da boca, responsável pelo fechamento dos lábios e por impulsioná-los para a frente, permitindo o mundialmente conhecido biquinho. E qual foi a primeira vez na vida em que você fez um biquinho? Durante a amamentação, bebês utilizam o músculo orbicular da boca para realizar o movimento de sucção do leite no seio da mãe.

O movimento do bebê para sugar o leite causa sensação de conforto e bem-estar para a criança, já que libera no cérebro o hormônio ocitocina. Anos depois, na hora do beijo, é o mesmo hormônio e a mesma situação que está em jogo. Por isso o beijo é tão relaxante e prazeroso.

O beijo, portanto, vai do seio à boca – e potencialmente a outro seio, dependendo de como as coisas irão rolar depois do beijo!

Fonte: It’s OK to be smart