A Biblioteca Nacional (BN), localizada no Rio de Janeiro, possui alguns itens muito curiosos em seus arquivos. São manuscritos diversos, gravuras, livros raros e itens mais cabeludos, como pedaços das madeixas da rainha Maria II de Portugal e da escritora Clarice Lispector, que acabaram sendo roubados.

Mas o que talvez passe despercebido aos olhos de muitos é o fato de que também estão na BN os pelos pubianos de D. Pedro I. É isso mesmo: hoje são públicos os pelo púbicos do primeiro imperador do Brasil.

Pelos pubianos de D. Pedro I estão na Biblioteca Nacional

O monarca costumava enviar seus pelos íntimos junto com cartas eróticas à sua amante, Dormitila de Castro, a marquesa de Santos. E não era só isso. Com medo de se denunciar ao escrever cartas para seu caso extraconjugal, o imperador usava um apelido: “O Fogo Foguinho”.

Essa e outras histórias estão publicadas no livro “Bibliotheca Nacional – Um jardim de delícias”, escrito por Waldir da Cunha. Depois de trabalhar por cinco décadas na Divisão de Manuscritos da BN, o arquivista conhece o acervo como ninguém. E alerta: “Quem abre a gaveta do Drummond pensa que só vai sair poesia dali. Tem um volume só com cenas eróticas japonesas”.

E há quem diga que bibliotecas são lugares chatos…

Fotes: Revista de História, Último Segundo

Leave a Reply

Your email address will not be published.