Música e produtividade

Fonte: Corbis

Qual é a melhor companhia para realizar tarefas no dia a dia de trabalho: o mais completo silêncio, o barulho da rua ou a sua música favorita no último volume? Pesquisadores há anos tentam entender qual é a relação entre a música e a produtividade e, embora ainda não tenham chego a um resultado definitivo, apresentam descobertas valiosas para quem quer apresentar melhores performances no trabalho.

Na hora de escolher a trilha sonora do seu trabalho, não é só o som que importa, mas o tipo de tarefa que você vai realizar:

Trabalho repetitivo

Arrumar gaveta, colocar papéis em ordem, ajustar depósitos, ordenar pastas e todo e qualquer trabalho repetitivo pode ser feito de forma mais produtiva ao som de música. E melhor ainda se for uma música que você goste. De acordo com estudos realizados em linhas de produção, a música deixa você com um humor melhor, tornando o trabalho mais eficiente. Então, se o trabalho for pura repetição, escolha a sua playlist favorita e capriche no passinho.

Trabalho criativo

Música é algo que demanda a sua atenção, mas que pode sim ser utilizada para melhorar sua produtividade. Em uma série de experimentos, chegou-se à conclusão de que a música ambiente é positiva para tarefas que exigem criatividade, principalmente se estiver em tom maior.

Mas evite escutar o novo álbum da Lady Gaga ou a música do Luan Santana que acabou de explodir na rádio: nosso cérebro encontra dificuldades para processar tarefas ao mesmo tempo em que reconhece novas melodias. Sendo assim, opte pela lista de discos que você já ouviu mais de 50 vezes ou prefira músicas sem letra. Como a audição ativa áreas do cérebro relativas à linguagem, escrever enquanto você escuta uma música que ainda não conhece ou um rap, que consiste mais na letra do que na melodia, é uma péssima ideia.

E nesse mesmo objetivo de ter um som ao fundo que não exige atenção, as cafeterias tornam-se lugares ideais para quem quer se focar no trabalho: xícaras batendo, gente conversando e sons da rua são perfeitos para manter o foco.

Veja alguns estilos de música e em que ocasiões de trabalho são indicados:

Música Clássica

Sem letras e com melodias bem construídas, as músicas de compositores como Beethoven e Mozart têm um impacto comprovado na produtividade. Contudo, peças mais intensas, como Toccata & Fugue em D menor devem ser evitadas.

Música Eletrônica

Em especial os subgêneros chillout, downtempo e ambient house são indicados para quem precisa deixar a criatividade fluir na hora do trabalho. Sem letras e com um ritmo repetitivo porém agradável, esse tipo de música faz perfeitamente o papel de “estar lá, porém sem incomodar”. Post rock também funciona de maneira semelhante.

Música de videogame

Você já jogou Braid? Se nunca jogou, corra dar um jeito de baixá-lo ou, melhor, escute a trilha sonora do game. Se não é essa a trilha mais sensacional de todos os tempos, está bem próxima do topo da lista. O fato é que música de videogame é perfeitamente focada para funcionar como um ruído agradável e nada mais.

Afinal, os criadores do jogo não querem que você divida a atenção dos personagens e missões com a música, certo? Então, se você se lembra da trilha de The Sims, considere ouvi-la da próxima vez que for escrever um artigo ou um relatório. E não se esqueça do Braid!

Fonte: Business Insider, Lifehacker

Leave a Reply

Your email address will not be published.