Um dinossauro voador cujas asas abertas mediam até 2,3 metros. Esse é o Caiuajara dobruskii, espécie de pterossauro brasileiro que teve seus fósseis descobertos recentemente nas redondezas do município de Cruzeiro do Oeste, no estado do Paraná. A espécie, que ainda não havia sido catalogada, também contava com uma crista triangular e óssea, que lembra o formato das velas de um iate.

Caiuajara dobruskii

(Fonte da imagem: Público)

De acordo com a entrevista do paleontólogo Alexander Kellner, do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, a crista estava presente tanto nos espécimes machos quanto fêmeas e crescia de acordo com a idade: pterossauros mais velhos possuíam cristas maiores, se comparadas proporcionalmente ao corpo.

No total, foram encontrados cerca de 50 esqueletos da criatura. Por isso, acredita-se que o Caiuajara dobruskii vivia em colônias, às margens do lago de um oásis localizado em uma grande região deserta, cerca de 90 milhões de anos atrás.

Fósseis de Caiuajara dobruskii

(Fonte da imagem: Público)

O animal não tinha dentes e provavelmente se alimentava à base de frutas. A análise dos fósseis encontrados também indica que esse dinossauro podia voar desde muito pequeno.

Como se não bastasse, a descoberta também é uma boa notícia para a comunidade científica global, visto que os fósseis de pterossauros não costumam ser encontrados de maneira tão preservada. Por isso, o Caiuajara dobruskii pode ser uma das espécies de pterossauros mais bem estudadas até o momento.

Fonte: Público